Como surgiu a Associação Cristã de Moços,
instituição tão importante na criação de diversos esportes comuns no nosso dia a
dia? Qual a relação dos soldados norte-americanos com a popularização do voleibol? E por que
o vôlei é um dos esportes que mais teve mudanças em suas regras desde a sua criação? Descubra as respostas destas perguntas no vídeo de hoje (vinheta) Para compreender bem como
se deu a origem e o processo de popularização do voleibol, é primordial que iniciemos esse
vídeo falando sobre a Associação Cristã de Moços. Foi nela que foram criados diversos
esportes muito populares no Brasil, como o vôlei, o futsal e o basquete. Mas qual seria
a ligação de uma instituição cristã com o surgimento desses esportes? A Associação
Cristã de Moços foi criada na Inglaterra, durante o período da Revolução Industrial.
Nesta época, as condições de vida de grande parte da população operária inglesa era
péssima: muitas pessoas saíram do campo em direção as cidades à procura de empregos,
porém não havia moradia para todo mundo; a falta de saneamento básico e higiene também
era comum, o que resultava no aparecimento de muitas doenças; além disso, os operários
chegavam a trabalhar 16 horas por dia e tinham um péssimo salário. Esse contexto social
fez aumentar a pobreza e a criminalidade. Foi neste cenário que George Williams resolve
criar um lugar que acolhesse estes trabalhadores, oferecendo banhos e refeições, mas que tinha
como maior objetivo espalhar o protestantismo, uma das divisões do cristianismo. Surge assim,
a Associação Cristã de Moços ou ACM. Com o tempo, começou a ser ofertado na ACM aulas
de Educação Física, sendo este o lugar no qual os operários tinham seus raros momentos
de lazer e podiam fazer atividades físicas para cuidar da sua saúde. Este fator aproximou
a ACM dos donos das fábricas, que estavam interessados em controlar o que os operários
faziam no seu tempo livre, já que: um operário machucado significaria uma redução na produção,
ou seja, menos lucro. Assim, a Associação Cristã de Moços acompanha o processo de
industrialização de diversos países, principalmente o dos Estados Unidos da América. Porém,
o perfil dos frequentadores das ACMs norte-americanas era outro: homens de negócios que se associavam
a instituição. Em 1891, na ACM da cidade Springfield, no estado de Massachusetts, Estados
Unidos, foi criado o basquetebol, pelo professor James Naismith. Este esporte se popularizou
rapidamente, ganhando vários adeptos no país. Contudo, os “homens de negócios” mais
velhos, com idade entre 40 e 50 anos, achavam o basquetebol um esporte violento, devido
a grande quantidade de contato físico que é característico da modalidade e que acabava
ocasionando muitas lesões. Por este motivo, em 1895, o pastor Lawrence Rinder pediu a
William George Morgan, diretor da divisão de Educação Física (ou diretor do Departamento
de Atividades Físicas da ACM) da Associação Cristã de Moços (ACM) de Holyoke que desenvolvesse
um jogo para ser praticado pelos associados de meia-idade dentro dos ginásios. Inspirado
no basquetebol e no tênis, esportes já bastante populares entre os norte-americanos, Morgan
apresentou, em dezembro de 1895, um jogo de rebater, cujo objetivo era enviar a bola de
encontro à quadra adversária por cima da rede, e o nomeou de mintonette. Apenas em
agosto de 1896, o professor Alfred T. Halstead, sugeriu que o nome do jogo fosse substituído
por volleyball, já que a bola permanecia em constante voleio (volley, em inglês) sobre
a rede. Quando o voleibol foi criado, não havia número limite de jogadores em cada
time desde que houvesse a mesma quantidade dos dois lados. Os jogadores deveriam realizar
um rodízio de modo a garantir passagem de todos pela zona do saque. O jogo era disputado
em 9 pontos em uma quadra que media 15,75 m de comprimento e 7,625 m de largura. A rede
tinha aproximadamente 1,98 m de altura. Inicialmente, tentou-se
jogar voleibol com a bola de basquetebol, que se mostrou muito pesada, e com sua câmara
de ar, que era muito leve. Até que Morgan encomendou a um fabricante uma bola de couro,
com uma câmara de borracha, com medidas semelhantes as que são utilizadas atualmente. Entre os
fatores primordiais para a popularização do voleibol ao redor do mundo, os principais
são: A prática do voleibol nas inúmeras unidades da Associação Cristã de Moços
espalhadas em diversos países; E o fato dos soldados norte-americanos praticarem voleibol em seus momentos de folga durante a Primeira Guerra Mundial. Tornando-o conhecido em países
europeus, que após a guerra, adotaram o voleibol em seus clubes e escolas. Na América do Sul,
o primeiro país a receber uma partida de voleibol foi o Peru. No Brasil, o voleibol
foi jogado pela primeira vez em 1915, no Colégio Marista, no estado de Pernambuco. Com a popularização
do voleibol crescendo em todo o mundo, nasce a necessidade de se ter um instituição que
padronizasse a sua prática, fazendo com que ele fosse jogado da mesma forma em todos os
continentes. Cria-se, então, a Federação Internacional de Voleibol, em 1946. No ano
seguinte, há mudança no tamanho da quadra de jogo, que passa medir 18 x 9 m. Medida
que permanece até os dias atuais. A posição do líbero que tem como função recepcionar e defender, só surge em 1998. Neste ano também começa a ser testada uma nova forma de contagem de
pontos, chamada de “rally point”. Neste sistema, cada disputa de bola vale um ponto.
Diferente do que ocorria anteriormente, que quem recebia o saque e vencia o “rally” ganhava
a vantagem e o direito de sacar, porém, não marcava ponto. O que deixava o jogo muito
longo e dificultava transmissões das partidas de voleibol na Televisão, gerando menos lucro
para os envolvidos neste esporte. Não é exagero afirmar que as mudanças no voleibol
tiveram como objetivo deixá-lo um produto mais comercial e adaptado às exigências
das emissoras de TV. As transmissões dos jogos de voleibol na televisão foram
um dos principais meios para que este esporte se tornasse popular no Brasil. Coisa que só
que ocorreu a partir da década de 70. Para se ter uma ideia do alcance que o voleibol
ganhou em nosso país, em 1983 foi registrado o recorde mundial de público no jogo amistoso
disputado entre Brasil e URSS, no Estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro: 95.887 pessoas
comemoraram a vitória da seleção brasileira por três sets a um. Com a medalha de prata
da seleção brasileira masculina de vôlei nas Olimpíadas de Los Angeles e a posterior
medalha de ouro nas Olimpíadas de Barcelona, em 1992, o voleibol consolida-se como um dos esportes preferidos do Brasil. Daí em diante, seja no naipe feminino, seja no masculino,
não há esporte que mais trouxe medalhas e títulos para o Brasil nos principais eventos
esportivos do mundo, como as Olimpíadas e os Campeonatos mundiais. Todo esse sucesso,
fez com que o voleibol brasileiro se tornasse referência mundial, status que é mantido
até os dias atuais. Bem, pessoal, por hoje é só. Esperamos que o vídeo tenha sido
útil para você! Ah, não esquece de curti-lo, compartilhá-lo com outras pessoas e se inscrever
no nosso canal. Até a próxima!